Mais uma vez a secretária municipal de Educação não recebe o SEPE

Já são 4 anos e meio à frente da Secretaria Municipal de Educação, mas apesar do tempo, a economista Claudia Costin  nunca recebeu o Sindicado dos Profissionais de Educação (SEPE).

fotoNo último 22 de maio, durante o Ato Público do SEPE, finalmente a secretária municipal de educação do Rio, a economista Cláudia Costin se comprometeu a receber e a negociar com o sindicato que representa os profissionais de educação. A reunião foi agendada graças à intermediação dos vereadores Renato Cinco (PSOL) e Leonel Brizola Neto (PDT), mas apesar do acordado, a senhora Costin mais uma vez não participou do encontro.

A reunião na sede da prefeitura do Rio aconteceu com a presença da subsecretária Helena Bomeny, das diretoras do SEPE Rosilene Almeida e Suzana Gutierrez, do professor Jorge Augusto e dos vereadores Renato Cinco (PSOL) e Leonel Brizola Neto (PDT).

A pauta de reivindicações era extensa. Na lista, estava o aumento salarial; a criação do plano de cargos e salários da categoria; o direito dos professores a 1/3 da sua carga horária para o planejamento de aulas; o abono aos grevistas; a inclusão dos profissionais de 40h e as mega metas da Secretaria.

Mais uma vez, a reunião de negociação não resultou em nenhuma medida concreta, e a conversa não passou das promessas.  

Com relação ao plano de cargos e salários, a Secretaria disse que já tem um plano construído, mas se comprometeu a não fechar nada sem antes analisar a proposta do Sindicato dos Profissionais de Educação.

Já sobre o aumento dos profissionais da educação, mais uma vez a responsabilidade foi empurrada para outras secretarias do Poder Executivo.

“Sobre o orçamento, ninguém explica. A prefeitura tem um enriquecimento de verba, de arrecadação da receita corrente líquida, e isso não se reflete na valorização salarial e nem na reestruturação das escolas. Os prédios estão caindo aos pedaços. Temos que insistir na reunião com o secretário da Casa Civil Pedro Paulo”, ressaltou a diretora do SEPE Suzana Guitierrez.

A parte boa da reunião foi que em vários momentos a Secretaria admitiu os próprios erros: “Eles disseram que o nosso plano de cargos e salários é ruim; que a situação dos últimos concursos, como para auxiliares de creche, foi errada; que a remoção dos profissionais de língua espanhola dentro da rede também foi feita de maneira errada. Eles assumiram várias situações como um processo errôneo”, salientou a diretora do SEPE Rosilene Almeida.

Apesar de assumirem a culpa e de se comprometerem a rever algumas iniciativas, a posição da Secretaria quanto ao ensino da língua espanhola é de torná-lo eletivo dentro da rede.

Um novo encontro de negociação já foi agendado para o dia 09 de julho, mas a subsecretária já avisou que Cláudia Costin estará viajando. Vamos para o 5º ano sem diálogo da secretária economista de educação com os profissionais de ensino.

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s